Trabalhadores da Construção Pesada deflagram greve em diversas obras da Bahia

06 de abril de 2018

Fonte: Assessoria de Comunicação Sintepav Bahia

 

A categoria paralisou as atividades por tempo indeterminado, entre elas, a obra do metrô de Salvador

 

Trabalhadores aprovaram a greve por tempo indeterminado

O Sintepav BA realizou nesta sexta-feira (06), assembleias simultâneas em diversas obras da construção pesada em todo estado para debater as negociações da Campanha Salarial 2018. Na capital baiana, os trabalhadores se reuniram em frente a estação do metrô de Mussurunga, obra que é fruto do empenho e dedicação da categoria.  Diante de um quadro de pauta regressiva, em que o patronato não aponta flexibilidade para avançar nas negociações coletivas, os trabalhadores aprovaram a greve por tempo indeterminado.

O presidente do Sintepav BA, Irailson Warneaux (Gazo), destacou a mobilização da categoria contra a retirada de direitos, presentes na pauta regressiva apresentada pelas empresas, através do sindicato patronal (Sinicon) e que exclui diversos avanços conquistados historicamente pelos trabalhadores. “O Sinicon apresentou uma contra proposta diante das reivindicações dos trabalhadores que tem o objetivo de retirar diversos itens conquistados nas Convenções Coletivas de Trabalho anteriores. Essa pauta regressiva apresenta a falta de obrigatoriedade do pagamento da cesta básica; suspende o contrato de experiência de 30 dias, retira a obrigatoriedade do pagamento da PLR e até o debate das questões de segurança e saúde no trabalho, entre outros pontos. Vamos lutar contra esses retrocessos e demonstrar a força da classe trabalhadora”, afirma Gazo.   

O vice-presidente do Sintepav BA e presidente da Força Sindical BA, Emerson Gomes, reforçou a importância da união dos trabalhadores diante de um cenário em que a nova lei trabalhista é utilizada pelo patronal com o objetivo de retirar direitos e apresentou os exemplos das lutas realizadas no 1º de maio, dia do trabalhador, e a força das mulheres trabalhadoras pela realização de lutas históricas. “Parabéns as mulheres por terem a capacidade de vencer os obstáculos e conquistar avanços. Nós trabalhadores sabemos que contra o capital só é possível vencer, através da luta, ocupando os espaços, as ruas e nos manifestando em defesa dos nossos direitos”, ressalta Gomes. A diretora do Sintepav BA, Juciara Santana, também abordou a importância da luta das mulheres e a necessidade de ampliar a inserção de trabalhadoras nas obras. “Ainda somos minoria, mas vamos continuar a nossa luta para inserir mais mulheres no mercado de trabalho”, destaca.

Paralisação – Além das obras da construção pesada de Salvador, estão paralisadas as obras nas cidades de Camaçari, Morro do Chapéu, Bom Jesus da Lapa Esplanada, Entre Rios, entre outras. “Caso não ocorra avanço nas negociações, outras obras serão paralisadas em todo o estado”, explica Gazo.

Na próxima terça-feira (10), às 07h será realizada uma nova assembleia geral com os trabalhadores na Praça do Campo da Pólvora em Salvador para definir os rumos da greve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *