Termina greve dos Trabalhadores da Construção Pesada com a manutenção de conquistas históricas da categoria

23 de abril de 2018

Fonte: Assessoria de Comunicação Sintepav Bahia

 

 

Os trabalhadores da construção pesada participaram nesta segunda-feira (23) no Campo da Pólvora em Salvador, da assembleia geral da categoria, realizada pelo Sintepav BA e que definiu os rumos da greve da Campanha Salarial 2018. A assembleia contou com a participação dos dirigentes sindicais do Sintepav BA, da senadora Lídice da Mata que prestou apoio aos trabalhadores, da Força Sindical BA e representantes de movimentos sociais.

Histórico – Após esgotadas as intensas rodadas de negociação com o sindicato patronal – Sinicon que apresentou uma pauta regressiva com o objetivo de retirar conquistas históricas da categoria e aplicar a nova lei trabalhista e duas audiências de mediação realizadas pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), sem que houvesse avanço de pontos considerados fundamentais pela categoria, apesar do esforço do Sintepav BA e TRT, os trabalhadores deflagraram greve no dia 06 de abril. A greve atingiu diversas obras da Bahia, entre elas, o Metrô de Salvador, a construção de corredores exclusivos, FIOL, BA 093, obras de saneamento básico, terraplanagem, entre outras. De acordo com o presidente do Sintepav BA, Irailson Warneaux (Gazo), a mobilização dos trabalhadores foi fundamental para o avanço da negociação. “Realizamos uma greve crescente e que foi atingindo as demais obras a cada dia e assim demonstramos nossa força e mobilização em todo o estado, permitindo que a negociação destravasse em pontos fundamentais”, ressalta.

Conquistas – O diretor do Sintepav BA e deputado federal, Bebeto Galvão, apresentou aos trabalhadores para submeter a votação da categoria, os pontos debatidos na última rodada de negociação realizada com o Sinicon na sexta-feira (20). Após votação, os trabalhadores aprovaram por unanimidade o reajuste salarial pelo índice do INPC – IBGE; aplicação do reajuste da cesta básica pelo índice do INPC – IBGE; aviso prévio indenizado de 30 dias e as homologações realizadas no sindicato de forma opcional. “Esse resultado só foi possível devido à resistência política nossa, o enfrentamento e as mobilização que fizemos em todo estado. O patronal não encontrou nenhum tipo de fraqueza por parte dos trabalhadores que resistiram e conquistaram a manutenção de direitos históricos”, destacou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *