Campanha Mulheres que Constroem conta com a participação dos trabalhadores da obra do aeroporto em Salvador

04 de dezembro de 2018

Fonte: Assessoria de Comunicação Sintepav Bahia

 

Campanha combate preconceito de gênero e raça

 

As trabalhadoras e trabalhadores da obra do aeroporto de Salvador participaram nesta terça-feira (04), da assembleia realizada pelo Sintepav BA sobre a campanha “Mulheres que Constroem. Sou mulher, negra e também sei construir”, realizada pelo sindicato em parceria com a Federação Internacional dos Trabalhadores da Construção e da Madeira (ICM).

Durante a assembleia a Secretária de Políticas para as Mulheres do Sintepav BA, Maria do Amparo, destacou a existência do preconceito e a necessidade das empresas contratarem mais mulheres. “Percebemos aqui a existência de grande parte dos trabalhadores homens, sendo poucas as mulheres, sendo que existem muitas mulheres qualificadas e que podem exercer diversas atividades nas obras. As empresas não contratam deviso ao preconceito e precisamos nos unir e lutar contra isso”, ressaltou.

 

Trabalhadores da obra do aeroporto participam da Campanha Mulheres que Constroem

 

A assessora de Comunicação do Sintepav BA, Sara Regina Gansohr, solicitou que a categoria participasse da campanha nas mídias sociais e falou sobre a importância de aumentar a visibilidade das trabalhadoras negras no setor da construção. “Essa é uma campanha do nosso setor para que as trabalhadoras negras, da categoria que é a grande responsável pelo desenvolvimento do país, além de serem inseridas nas obras, sejam valorizadas”, destacou.

 

O Presidente do Sintepav BA, Irailson Warneaux (Gazo), destaca que a campanha será contínua

 

O Secretário de Políticas Raciais do Sintepav BA, Vitor Costa, falou sobre o preconceito racial existente no país e que retira a oportunidade nas mulheres e homens negros que são discriminados cotidianamente. Para o Presidente do Sintepav BA, Irailson Warneaux (Gazo), a campanha Mulheres que Constroem é o ápice do debate realizado pelo sindicato ao longo dos anos. “Esse é um dos eixos prioritários da luta do sindicato, o combate ao preconceito de gênero e raça e essa campanha faz parte da política contínua do sindicato em aumentar a inserção das nossas trabalhadoras nas obras”, explica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *