MS inclui profissionais da indústria e construção civil no início da vacinação

MP cria grupo de trabalho para acompanhar ações de enfrentamento ao coronavírus
VLT do Subúrbio: primeira etapa das obras deve durar até três meses
Orçamento e Fundo Garantidor da Ponte Salvador-Itaparica vão ser votados hoje na AL-BA

23 de janeiro de 2021
Fonte: Ig

Após ceder e dar espaço a caminhoneiros na fila pelos imunizantes contra a Covid-19, Saúde adicionou mais 5,3 milhões de trabalhadores.

Em nova mudança anunciada no plano nacional de imunização contra a Covid-19 , o Ministério da Saúde incluiu 5,3 milhões de profissionais de indústria e da construção civil na lista de grupos prioritários para receber as vacinas. Nesta semana, após pressão, o governo já havia decidido incluir caminhoneiros.

O MS também oficializou a entrada de trabalhadores de transporte aéreo e aquaviário, como profissionais que atuam em companhias aéreas e empresas de navegação, além de trabalhadores portuários entre os grupos previstos para receber as doses das vacinas com prioridade na fila.

Com as mudanças no plano nacional de vacinação , 77,2 milhões de brasileiros passam a fazer parte do grupo prioritário de imunização, sendo que anteriormente esse número era de cerca de 65 milhões – e a quantidade de vacinas disponíveis ou compradas pelo Brasil já era insuficiente.

Apesar de alterar o plano nacional, o Ministério da Saúde não detalha os cronogramas de aplicação das doses das vacinas entre esses novos grupos. O plano prevê que os trabalhadores das áreas incluídas apresentem comprovação do vínculo de emprego e a justificativa pela prioridade de acordo com os critérios adotados pelo governo.

“Cabe esclarecer que todos os trabalhadores da saúde serão contemplados com a vacinação, entretanto a ampliação da cobertura desse público será gradativa, assim como os demais públicos prioritários elencados na segunda edição do plano, conforme disponibilidade de vacinas”, diz o Ministério da Saúde em nota nesta sexta-feira (22).

COMMENTS