Centrais sindicais na Bahia organizam o primeiro de maio

Acordo Judicial garante pagamento das rescisões dos trabalhadores da Ponte de Ilhéus
Centrais se reúnem pra reafirmar ações cujo eixo principal é a vacina
Secretário de Educação afirma que estado não tem condições de voltar às aulas: ‘Não podemos vacilar’

O dia mundial dos trabalhadores será marcado com ato simbólico
nas ruas e nas redes sociais.

A partir de segunda (26), os trabalhadores e trabalhadoras no estado da Bahia estão convidados a participar dos atos alusivos ao Dia Mundial dos Trabalhadores (as), 1º de maio. A data marcada por históricas manifestações e lutas por direitos à classe trabalhadora, neste ano, vai trazer as seguintes bandeiras de luta: vacina para todos contra a Covid-19, fortalecimento do Sistema Único de Saúde, auxílio emergencial de R$ 600, pelo direito à vida, defesa da democracia e #ForaBolsonaro.

Os presidentes das centrais afirmam que este ano é ainda mais difícil se comparado ao anterior. O número de vítimas pelo novo coronavírus tem aumentado, beira os 400 mil mortos, é urgente vacinar a população em massa. Outra prioridade é o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia, para garantir o isolamento e a preservação de nossas vidas. Na Bahia, os indicadores que monitoram o avanço da doença estão estabilizados conforme último boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SESAB), mas não é hora de relaxar. As Centrais Sindicais recomendam o uso de máscara, higienização adequada das mãos e manutenção do distanciamento a fim de evitar o contágio.

Diante da crise sanitária instalada no país, ao invés de usar o Estado para investir em pesquisa, ampliação de equipamentos hospitalares e acesso à educação em um período tão difícil, a prioridade do presidente Jair Bolsonaro tem sido a venda de empresas públicas e precarização nas relações de trabalho com a reforma administrativa e a privatização de empresas públicas: Eletrobrás, Correios e EBC (Empresa Brasil de Comunicação) que estão na mira da destruição.

Mais do que nunca, a classe trabalhadora precisa estar unida, lutar e enfrentar tantos ataques vindos do governo federal que vem cumprindo seu papel de servir aos grandes empresários, a exemplo, da fortuna de R$ 80 bilhões abocanhados na forma de lucro em 2020 pelos cinco maiores bancos no país, enquanto o desemprego, a fome, as doenças e a morte se espalhavam pelo país.

Em Salvador, as Centrais Sindicais, CUT, CTB, Força Sindical, UGT, CSP Conlutas e Nova Central, vão se encontrar em ato simbólico respeitando as regras de distanciamento e protocolos para evitar o contagio pelo coronavírus, às 8h nas proximidades do Shopping da Bahia (Iguatemi).
Às 11h acontece um ato político/cultural com transmissão ao vivo nas redes sociais, com a fala dos presidentes das Centrais e dirigentes sindicais da capital e do interior do estado. Pela tarde, às 14h, as Centrais no âmbito nacional, farão uma transmissão com lideranças de partidos políticos, representação de movimentos sociais e populares e dirigentes dos estados.

A agenda do primeiro maio irá contar com ações de solidariedade através da doação de alimentos nas sedes dos sindicatos filiados às centrais e outros pontos de coleta que serão divulgados ao longo da semana em seus canais de divulgação.

Ainda no sábado, 1º de maio, haverá um ponto de coleta na Universidade Federal da Bahia para que a população possa contribuir com alimentos não perecíveis. As doações serão destinadas às intuições cadastradas pelas centrais. Essa ação é um ato de solidariedade com as famílias de trabalhadores no estado e no país que voltaram para situação de não ter o que comer dentro de suas casas devido a política genocida de Bolsonaro.

Confira a agenda resumida:
26 de abril a 1 de maio – campanha de solidariedade com doação
de alimentos não perecíveis (sede dos sindicatos filiados às
Centrais).
28 a 30 de abril – ações nas redes sociais das centrais e atos
simbólicos nas ruas das principais cidades do interior e capital.
30 de abril | 8h30 – carreata em Salvador, saindo do Vale do
Canela até a sede da ANVISA (Cidade Baixa);
1º de maio | 8h às 10h – agitação (Capital e Interior – Juazeiro,
Feira de Santana, Barreiras, Jequié, Irecê, Itamaraju, Paulo Afonso,
Alagoinhas, Vitoria da Conquista, Caetité, Itabuna, Camaçari,
Senhor do Bomfim, Itaberaba e Santo Antônio de Jesus.)
1º de maio | 11h – Live das Centrais Sindicais da Bahia
1º de maio | 14h – Live das Centrais (Evento Nacional)

COMMENTS